terça-feira, 30 de março de 2010

too much reality

- quem você quer que vá pro paredão?
- eu não assisto bbb.
- ah... e o que você tá achando da novela das 8?
- eu também não assisto novela.
- tá. e você não acha que o oscar foi sacanagem com o cameron?
- hmmm. eu não vi avatar. faz tempo que não vou ao cinema.
- ué... e você faz o que no seu tempo livre?
- sei lá. durmo. ou penso na minha vida.
- credo! que mala! por isso que tá sempre com depressão...
.

domingo, 28 de março de 2010

não tente fazer isso em casa

tem coisas que a gente vê na tv, lê nos livros ou ouve dizer que na vida dos outros deu certo, que todo mundo sobreviveu. mas eu acho que isso daí é pura mentira.

tem coisas que só mesmo os profissionais deveriam fazer. e lá no mundo deles. a gente nunca deveria tentar fazer na própria casa.

matar uma criança, por exemplo, não é o tipo de coisa que a gente deve fazer na casa da gente. tem muita chance de dar merda. é melhor deixar pros assassinos e psicopatas, que tem mais experiência e não vão fazer um monte de bobagens pra acabar apodrecendo na cadeia.

outro bom exemplo é separação. é uma coisa que deveria ser deixada pra profissionais do ramo, como a suzana vieira ou a elizabeth taylor, que conseguem se recuperar como fênixes e tocam a vida em frente. quem se mete a fazer isso sem experiência no assunto acaba sofrendo muito...
.

terça-feira, 23 de março de 2010

wrong is so right

post especial pra quem, como eu, foi jovenzinho nos anos 80.
depeche é o bicho. depeche é o que liga.
ouça a música e ignore os nerds da banda se divertindo no video.
lá em baixo tem a letra da música: exercício de auto-compreensão
pra quem, como eu, acha que tem alguma coisa errada consigo.
enjoy.



WRONG - DEPECHE MODE

Wrong. Wrong. Wrong. Wrong.

I was born with the wrong sign
In the wrong house
With the wrong ascendancy
I took the wrong road
That led to the wrong tendencies
I was in the wrong place at the wrong time
For the wrong reason and the wrong rhyme
On the wrong day of the wrong week
I used the wrong method with the wrong technique

Wrong. Wrong.

There's something wrong with me chemically
Something wrong with me inherently
The wrong mix in the wrong genes
I reached the wrong ends by the wrong means
It was the wrong plan
In the wrong hands
The wrong theory for the wrong man
The wrong eyes on the wrong prize
The wrong questions with the wrong replies

Wrong. Wrong

I was marching to the wrong drum
With the wrong scum
Pissing out the wrong energy
Using all the wrong lines
And the wrong signs
With the wrong intensity
I was on the wrong page of the wrong book
With the wrong rendition of the wrong look
With the wrong moon, every wrong night
With the wrong tune playing till it sounded right yeah

Wrong. Wrong (Too long). Wrong (Too long)

quinta-feira, 18 de março de 2010

POTENCIALISMO

é a nova onda. tendência. must be. é o novo novíssimo.

a gente quer ser tudo ao mesmo tempo agora. a gente quer de tudo um monte. a gente quer reinventar a roda todo dia e ganhar créditos. a gente se leva a sério demais. a gente quer sucesso. a gente não sabe parar quieto. a gente é um saco.

potencialismo
potencialismo
potencialismo

estou escrevendo e re-escrevendo essa palavra aqui no blog pra ver se eu viro recorde de hits no google. eu. eu. eu. potencialista - psicóloga - blogueira - recordista em hits. desenvolvida. sucesso. comunicadora, cidadã do mundo. pluriapaixonada. imortal da wikipedia!

como se essa merda toda fizesse alguma diferença.

.

quarta-feira, 17 de março de 2010

amnésia: esquecimento e lembranças

A amnésia que eu vejo em meus pacientes após um acidente cerebral, na maior parte das vezes, pouco se parece com a síndrome retratada em Hollywood. O cinema em geral mostra casos de pessoas que esqueceram tudo o que já viveram: 'Onde estou?', 'Quem sou?'. Essa é a amnésia retrógrada - apaga tudo dalí pra trás.

Isso aí até existe, mas a amnésia mais comum é aquela igual a da peixinha Dori, do filme 'Procurando Nemo': ela é inteligente, sabe quem é, lembra coisas do passado, mas não consegue guardar coisas da história atual; é um problema de memória recente. Essa se chama amnésia anterógrada.

E é isso que acontece com os meus pacientes: desde que tiveram um acidente eles tem um defeito no registro de novas informações. Então, eles se lembram em geral muito bem de tudo que ocorreu antes do acidente (salvo um apagão de logo antes e logo depois da doença em si), mas não conseguem formar novas memórias de forma eficiente. Assim, a vida desde o acidente vira um amontoado de fatos e informações meio isoladas, desorganizadas cronologicamente. E muita coisa nem sequer amontoa. Apaga mesmo e é como se nunca tivesse acontecido.

Os casos de amnésia anterógrada total existem, mas são raros: é como se a pessoa tivesse parado em um certo dia ou ano de sua vida, e não aprende mais informações desde então. Fica parada em uma época, sem registro de que coisas acontecem e de que o tempo passa. O caso mais famoso dessa patologia foi o paciente HM, de quem eu falei aqui nesse post de 2008, quando ele morreu.

A amnésia anterógrada mais comum, entretanto, não é total. A mais típica é, de novo, muito bem retratada na peixinha Dori que consegue aprender algumas coisas mas não outras. O que ela usa e repete toda hora se fixa de uma forma um pouco melhor, mas o que não usa ou não chama muito a atenção se apaga.

E daí se mostra um fenômeno muito legal, pois apesar de ser frequente também entre as pessoas normais, ele é muito mais acentuado, quase caricato, entre as pessoas amnésicas: é o poder de fixação da memória emocional.

Todo mundo lembra melhor do que interessa, certo? Mas pra essas pessoas não é uma questão de lembrar melhor. Funciona mais como: eu só me lembro do que tem muito valor emocional, ou porque me interessa muito, ou porque me assustou, ou porque eu detestei. Dessa forma, a vida dos amnésicos acaba se orientando por aquilo que é rotineiro e se repete exatamente igual todo dia e fora isso há uma coleção de eventos marcantes. O resto vai e vem no amontoado de eventos desordenados no tempo.

Tudo isso pra contar que acabei de conhecer um homem de 60 anos que sofreu um acidente de carro aos 20. O impacto cerebral foi gravíssimo e ele ficou bem amnésico, assim desse jeitinho mais comum da gente ver: amnésia anterógrada importante mas não total. E isso faz parte da vida dele há 40 anos!

Nesse tempo (dos 20 aos 60 anos) ele teve muita ajuda da familia e amigos e realmente conseguiu uma vida plena: terminou a faculdade, trabalhou, namorou, casou, teve 2 filhos, fez amigos, viajou, enterrou pessoas queridas, viu governos entrarem e saírem, viu filmagens e re-filmagens no cinema e nas novelas da Globo, viu o homem pisar na lua, viu o muro de Berlim cair, viu guerras no mundo, tecnologia, internet, revoluções sociais, mudanças de comportamento, o vai e vem das calças boca de sino e dos carros da Volkswagen.

Na consulta de hoje, como eu costumo fazer com meus pacientes, eu risquei uma linha em uma folha, coloquei o ano de seu nascimento em um extremo e o ano atual no outro, e pedi para que ele apontasse os fatos e eventos que mais o marcaram na vida. Não foi muita surpresa o que aconteceu: até a data do acidente ele marcou mortes, entradas e saídas nas escolas, viagens e o próprio desastre de carro. De lá pra frente, ele marcou sua vida em namoradas, paixões não-correspondidas, uniões e separações. Depois de eu insistir um pouco ele conseguiu fazer umas contas e marcou também o ano de nascimento dos filhos.

Nenhuma só palavra sobre trabalho, perrengues diários, desavenças, pequenos triunfos, grandes feitos, doenças, mortes, nada! Só amores e desamores. Foi isso que sua memória parca selecionou como importante pra ser guardado apesar da deficiência.

Fiquei aqui pensando: da vida a gente não leva nada. E mesmo em vida a gente devia carregar só o que realmente importa...
.

domingo, 14 de março de 2010

ninho

voa, voa, voa
mas sempre quer voltar
de baixo da asa da mamãe
a gente sabe e sempre soube
como é se sentir em casa

o cheirinho dos lençóis macios
a comida nos potinhos
toalhinhas, elefantes, batons
travesseiros no sol

durmo aqui no chão da sala
cuido de quem sempre me cuidou
só hoje. pelo menos hoje
vocês dois podem dormir

sua voz tá fraquinha, um sopro, um assobio
mas vai ficar tudo bem, pai
se você precisar de mim
entra aqui no meu sonho e me chama
me acorda como um passarinho
.

sexta-feira, 12 de março de 2010

... and she ended up being eaten by her pet.


she shared her last days with a grey-eyed iguana. the animal was brought from the trip to cancun, a couple of years ago. that was the last time she tried to get some excitement in life.

she did not get any then. or ever since.

one night she died silently. nobody noticed...


quinta-feira, 11 de março de 2010

i don't beg. i don't borrow. i steal.

adoro esse sonzinho. a-do-ro!

video

ela canta meio anasalado, mas linda desse jeito... who cares, né?

segunda-feira, 8 de março de 2010

just a broken rib

ah! quase esqueci: dia internacional da mulher é a pqp.

frágil?

gente, será que alguém pode me explicar por que a jennifer lopez foi ao oscar enrolada num plástico bolha?

ela tá com osteoporose e ficou com medo de cair e quebrar?

ou ela resolveu estourar as bolotas pra matar o tédio da cerimonia do oscar?

será que na onda eco-friendly ela resolveu reciclar a embalagem da secadora de roupas?

eu não entendo...

sexta-feira, 5 de março de 2010

devolve meu sutiãn

vai idiota: queima!
queima mesmo, otária!

what the hell is your point, you freak?
você vai fazer o que quando aparecer um inseto gigante na sua casa, hein????
.

quinta-feira, 4 de março de 2010

desabrigado

em tantas noites, tanta gente
sua companhia

mazelas do dia, celebrações, nada de novo
aulas de geografia

mendoza. napa. vale central.
rosa e branco e rubi
e riso e choro e cura e veneno

e hoje só eu aqui
ninguém mais. só esse cristal
acolhe o amigo chileno


"Vino color de día
vino color de noche
vino con pies púrpura
o sangre de topacio
vino,
estrelloado hijo
de la tierra”…
Pablo Neruda

terça-feira, 2 de março de 2010

inabalável

em algumas situações é bem difícil manter a dignidade.