segunda-feira, 29 de novembro de 2010

já que você chegou até aqui

não custa nada dar um passinho adiante e ir pro meu novo blog:

http://agoraandaprafrente.blogspot.com/


depois de tantas idas e vindas por aqui,
agora eu tô escrevendo em novo endereço,
porque pra frente é que se anda.

passa lá pra tomar um cafezinho...



sexta-feira, 12 de novembro de 2010

um pra trás, dois pra diante

mais uma da série blog é o novo divã:

obrigada a todos os meus 23.947 seguidores por aturarem a minha longa e tenebrosa fase das trevas. (é sério. they love me. pode olhar o contador de seguidores logo ali, no canto direito inferior do blog)

a boa notícia é que, embora débeis e inconsistentes, existem indícios de que há uma luz no fim do seu grande amor do túnel. embora o default ainda seja correr atrás do próprio rabo, parece que novas condutas estão sendo estudadas.

meu apego não me permite desativar o ia e vinha sumariamente. it means a lot to me...
(snif, snif... lagriminhas de apego)
mas burro velho amarrado ao blog antigo também pasta na blogosfera.
é nóis.

http://agoraandaprafrente.blogspot.com/

espero que gostem e continuem a prestigiar.

sábado, 6 de novembro de 2010

seus moleques...

os moleques tem torneio de natação. fazem capoeira, escola de circo e kumon.
eles surfam, andam de skate, são modelos fotográficos.
os moleques escrevem histórias, ganham medalhas.
eles dançam reboleixon e balé clássico. eles superam doenças, dores, escapam da morte.
eles usam o computador.
ah, moleque!
você tem seus atores preferidos, você canta em espanhol, consola os adultos quando eles estão tristes. você defende seu irmão e seu amigo. você sabe qual controle remoto usar.
ai, ai. esses moleques!
eles sabem o que é divórcio, aquecimento global e carro blindado. eles conhecem neve.
eles fazem terapia. esses moleques tem cada uma.
eles preferem linguiça apimentada. eles preferem aquele outro tênis. eles se recusam a sair de casa com o casaco. eles tem opiniões, argumentos. tem até razão.
esses moleques comem comida gourmet. ainda ontem comiam o próprio pé.
eles nasceram no século XXI.
eles fazem a gente se importar e usar o botão de 'foda-se' com parcimônia nessa vida.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

daí o português vendeu o sofá.

e o prêmio máximo de hoje vai pro Joaquim!

em homenagem às pessoas que acham melhor tomar providências estúpidas
do que admitir nossa impotência frente a atitudes alheias.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

desculpe...

... eu queria mesmo ter aceitado seu convite do outro dia, puxa vida eu tava super animada pra ir. ah! você sabe que eu adoro ver gente, fofocar, contar tudo de incrível que tem acontecido comigo! nossa, pois é, ontem tambem não deu pra ir, mas eu tava no maior pique de encontrar todo mundo, lugar alto-astral, gente feliz falando sem parar, que gostoso! então, anteontem também não deu. e olha que eu super queria aquela baladona, todo mundo muito louco! é tããão legal, né? claro, claro, eu queria sim, é que nao deu mesmo... então, sabe o que foi? olha, você não vai acreditar... parece desculpa esfarrapada, mas é a pura verdade... meu cachorro comeu o papelzinho onde eu tinha anotado o endereço... que coisa né? esses bichinhos são terríveis! mas na próxima, ó... sem falta...



segunda-feira, 1 de novembro de 2010

um futuro melhor

ele tava meio puto com as coisas que viu no jornal. ficou pensando que queria que o mundo fosse melhor. sentiu a cara esquentar de vergonha porque percebeu que a maior parte do tempo ele só reclamava, como se nao fosse dele também a responsabilidade de fazer um mundo melhor. pela primeira vez achou que dava conta de fazer sua parte. sentiu as mãos gelarem ao decidir que ia mesmo pedir pra ela parar de tomar pilula.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

domingo, 3 de outubro de 2010

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

dancing in the rain

hoje tava essa baita chuva. todo mundo correndo, encolhido, escondido.
e dai eu me dei conta que excepcionalmente estava me sentindo bem. comecei a lembrar o quanto eu gosto dessas tempestades. de andar na chuva e pisotear as poças, fazendo uma espécie de sapateado. minha dança da chuva. puxa vida! lembra o quanto eu gosto de dançar? em seguida tive uma epifania e me lembrei de um post que vi recentemente.

calenza gênio!
gênio! gênio! gênio!


desculpe gustavo, mas vou ter que colar seu post na integra:


troque singing por single
Por calenza





não é genial?
quem quiser ver o original vai lá no querotepegarsobrio.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

ao que eu não sei

eu achei que nunca ia acontecer com a gente.
eu achei que era possível evitar.
eu achei que não ia ter coragem.
eu achei que depois ia ser diferente.
eu achei que não ia sobreviver.
eu achei que ninguém podia me ajudar.
eu tô achando que o sofrimento não vai acabar nunca.

o que me consola é que eu não sei de nada.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

ginástica (ou how many laps to go)

quando eu era pequena estudava numa escola super engajada em esportes e educação física. na época, a gente chamava de aula de ginástica.

todo semestre, a nossa avaliação da ginástica incluia exame biométrico (terrorismo infantil, assunto pra outros posts e sessões de terapia), e outras medidas objetivas de desempenho: quanto tempo você conseguia ficar equilibrado em cada um dos pés, olhando para cima; subindo em um banco, em pé com as pernas esticadas, voce devia se alongar com as mão tocando os pés, e mediam quantos centímetros além dos pés você conseguia ir (para alguns essa medida era quantos centímetros faltavam até os pés); quantos abdominais você conseguia fazer em um minuto; e a mais pesada de todas, que era quanto tempo você levava para correr 1 kilometro.

essa medida era feita na quadra maior, de baixo de sol. você tinha que dar 11 voltas ao redor da quadra, externamente à marcação da quadra de handball, e passando por trás das traves do gol. as diversas salas da mesma série competiam pelo melhor resultado de grupo. então, tinha uma criatura de outra sala contando suas voltas, para garantir que você não ia "roubar", e a contagem de voltas era acompanhada também por uma criatura da sua própria sala pra garantir que o aluno da outra sala não ia te sacanear. a coisa era séria.

eu lembro da terrível sensação de calor e cansaço. cada volta completa não parecia uma vitória, porque eu ia ficando cada vez mais cansada. parecia um castigo que não acabava nunca. lembro de achar aquilo tudo desnecessário, desumano, injusto. lembro da vontade de desistir. de parar e sair chorando. mas acabava continuando pra não desapontar os colegas de sala e pra não ser tratada como café com leite. era isso que me fazia continuar. eu não gostava de correr, não me preocupava em fazer um tempo x ou y, não tinha satisfação pessoal pelo ato de competir, nem era motivada pelo sentimento de auto-superação. eu seguia mesmo pelo time. pelo amor das outras pessoas.

hoje é meu aniversário. isso quer dizer que eu completei mais uma volta ao redor do sol.

eu ainda não achei um grande objetivo de vida. não gosto de me testar e me superar, não acredito na cultura do sofrimento purificador. não entendo direito o que é que a gente vem fazer aqui. mas continuo tendo brios pra não ser chamada de café com leite. e continuo vendo que o único sentido de completar essa bagaça é mesmo obter o amor dos outros.

obrigada a todos que estiveram do meu lado e me deram amor nesta minha longa sequencia de voltas ao redor do sol.


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Garibaldo

não é fácil manter tudo em ordem. a casa, a saúde, os compromissos, tudo mais. estou em franco movimento de tentar manter o que sobrou. da casa, da saúde, da vida toda. estou jogando fora o que ninguém quer mais. tentando achar um novo dono pro que pode ser reaproveitado. estou limpando, lavando, consertando, reformando o que está em uso.

nesta última categoria estavam as almofadas de casa. precisavam de um bom banho. algumas precisavam de um ziper novo. outras de um remendinho. uma das minhas preferidas, a de nózinhos de retalhos amarelos, estava precisando de tudo isso. fiquei na dúvida se valia a pena ou não me dar ao trabalho.

daí pensei nos bons tempos em que ela era conhecida como Garibaldo. companheirão. parceiro. amigo Garibaldo. participava de ensaios musicais, esbórnias de vinho, festas de família, visitas de nenês e avós. estava nas fotos ao nosso lado, ao lado dos alegres convivas, ao lado dos irmãos de passagem, vindos de terras distantes. acordava enlaçado por amigos desnorteados que capotaram no sofá e mal se lembravam onde estavam.

tomei o cuidado de costurar o que precisava antes de mais nada. depois liguei o ciclo suave da máquina de lavar. mas não teve jeito, não. despedaçou-se em centenas de retalhos amarelos. não resistiu. recolhi suas penas-retalhos tom sur tom e coloquei-as no lixo, junto com o desmantelado resto da peça.

no prosaico ato de amarrar o saco de lixo me vi num momento que se encheu de sentido. estou no meio de escombros. roupas, objetos e lembranças. ao despedir do Garibaldo tive medo de nunca mais conseguir olhar as fotos e, pra não sofrer mais, acabar apagando da memória todo o tempo que se foi.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

much better...

parece que a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada à morte por adultério, vai escapar da morte por apedrejamento.

"o veredicto relativo aos casos extraconjugais foi revogado e está sendo revisto," disse o porta-voz do ministério à TV.

Pelo que tudo indica eles estão revendo a barbaridade da execução por apedrejamento, e então decidiram que ela deve morrer enforcada. Que peninha que as fogueiras em praça pública sairam de moda. Soooo fourteen hundreds...

...


Não sei onde o mundo vai parar com esses moderados maricas tomando conta do poder.

domingo, 5 de setembro de 2010

a day in life

a gente não saberia dar valor pra alegria se não existisse o sofrimento. isso parece fácil de compreender. o mais doido pra mim é entender que a gente tem que achar um jeito de fazer os dois conviverem. a gente tem que achar espaço pra criar e sentir alegria, apesar do sofrimento (e este último é mais certo e garantido na vida da gente).

ontem foi um dia de sofrimento ruim. sofrimento pra caralho. sem fim. sofrimento sem esperança de passar. mas não sei nem como explicar, foi também um dia de alegria, porque eu tinha meus amigos comigo. eles deram um jeito de me obrigar a me sentir feliz, mesmo na presença da dor e da falta, mesmo sabendo que isso tudo ainda está longe de acabar.

ainda bem que eu tenho um monte de gente pra amar. meus amigos me fizeram sentir gratidão pela vida. mesmo e apesar de tudo.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

que carro é esse? é um daitan...

a honda fez recall do meu fit.
recebi a cartinha e fui lá. nem olhei do que se tratava.
- oi, trouxe meu fit pro recall.
- vai trocar o interruptor central?
- hmmm. acho que sim. eu recebi essa carta aqui, ó...
- isso. é isso mesmo. o da senhora ja tá dando curto?
- hãn?
- é que a honda chamou o recall porque tava dando curto. dai tem risco de pegar fogo.
- e o senhor sabe se teve bastante carro que pegou fogo?
- olha, moça. bastanteS, assim, eu eu acho que não teve não. mas a gente ouve falar que uns e outros pegOU...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

are you ready, boots?

start walking!



These Boots Are Made for Walkin'
Nancy Sinatra, 1966

You keep saying you got something for me
Something you call love but confess
You've been a'messin' where you shouldn't 've been a'messin'
And now someone else is getting all your best
Well, these boots are made for walking, and that's just what they'll do
One of these days these boots are gonna walk all over you

You keep lyin' when you oughta be truthin'
You keep losing when you oughta not bet
You keep samin' when you oughta be a'changin'
What's right is right but you ain't been right yet
These boots are made for walking, and that's just what they'll do
One of these days these boots are gonna walk all over you

You keep playing where you shouldn't be playing
And you keep thinking that you'll never get burnt
Well, I've just found me a brand new box of matches

And what he knows you ain't had time to learn
These boots are made for walking, and that's just what they'll do
One of these days these boots are gonna walk all over you

crueldade

às vezes ele ficava de saco cheio de trabalhar muito e ter que pagar tudo. a mulher ganhava muito mal porque passava a maior parte do tempo por conta dos filhos. trabalhava meio período só. ele achava muito poderosa a mulher do vizinho, advogada fudidona que ganhava uma fortuna. admirava essas mulheres mais descoladas que investiam em suas carreiras. the grass is always greener ele pensou. mas uns dias depois percebeu-se sentindo um doce sabor de vingança quando viu o mercedes da bonitona do 23o. saindo da clínica de fertilidade assistida.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

weekend

fim de semana é o máximo! tô super animada pra sair e agitar... u hu!


terça-feira, 24 de agosto de 2010

para além do bem e do mal




"Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não se tornar também um monstro. Quando se olha muito tempo para um abismo, o abismo olha de volta para você." - F. Nietzsche

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

um bom dia

eu consegui acordar quando o despertador tocou as 3:45 da manhã.
o taxi combinado para as 4:15 chegou no horário.
as obras na marginal não me impediram de chegar a tempo em guarulhos.
eu consegui passar pela fila gigantesca no balcão de check in (sim. sim. as 5:00 da manhã) e pegar o voo das 6:10.
eu não precisei trocar de avião em nenhuma das 3 escalas até recife.
o motorista que devia me buscar no aeroporto atrasou menos de 1 hora pra me buscar.
a obra de recapeamento na rua da pousada não atrapalhou muito meu descanso.
eu dei aula direto até as 22h e nenhum aluno dormiu.
a cozinha da pousada dispõe de batatas ruffles para quem não chegou a tempo de jantar.

tem dias que tudo dá certinho na vida da gente!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

baleia


companhia ou comida?
depende do que você precisa.
mata e come esse papagaio.
ele não fala mesmo.
ele faz companhia.
se você morrer vai desacompanhado.
ele traz alegria.
mais fácil achar alegria sozinho do que morto.

vida seca. sem viço. infértil.

a baleia fica?
por enquanto.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

16 de agosto

era o aniversário da minha vó.
velhinha querida demais. saudade boa...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

ontem foi domingo

ontem foi domingo.
ontem eu passei o dia de pijamas, sem botar o nariz pra fora de casa.

domingo pede cachimbo.
cachimbo é de barro, bate no jarro.
o jarro é de ouro, bate no touro.
o touro é valente, bate na gente.
a gente é fraco, cai no buraco.
o buraco é fundo, acabou-se o mundo.

ontem foi dia dos pais.

domingo, 8 de agosto de 2010

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

baby steps

pois é... silêncio, sofrimento, separação, solidão, sofrimento, doença e morte do pai, mais sofrimento... fica difícil parar de olhar pro dark side. às vezes parece que nem existe mais bright side de nada. então a gente faz o melhor que dá e vai tocando a vida. faz só o que é mesmo imprescindível e volta correndo pra conchinha.

depois de um tempo lambendo as feridas já dá pra ir um passinho além. vamos cuidar das nossas coisinhas conquistadas com tanto empenho, da casa, da saúde (o dr. Roberto falou que o corpo é nossa primeira casinha. achei um amor!).

limpa o guarda-roupa, rega as plantas, conserta a torneira. médicos, dentista, manicure. manda lavar o carro.

putz! o carro.

acredita que levei uma batida lá perto do consultório? então. um fiadaputa de um argentino. além de estar super errado ainda ficou me xingando, me ameaçando. eu com pressa, ódio, bode, acabei indo embora e resolvi que ia assumir meu prejuízo. peguei uns telefones de martelinhos com meus amigos, acho que vai dar certo.

fora isso, tinha uma carta aqui falando que a montadora fez um recall. se não trocar a tal da pecinha parece que pode dar um curto no carro. que perigo, gente! liguei lá na concessionária. marca o recall e a revisão duma vez? ótimo. marcado então.

fiquei feliz de finalmente conseguir sair do foco de mira de radar no meu umbigo. tô devagarinho voltando pra vida. fazendo o que tem que ser feito.

o que tem que ser feito! tsã...

olha, eu acho que viver - em si - já dá muito trabalho. quem dá conta da própria vida já devia ganhar salário, porque vou te contar, viu?

enfim, felicidade dura pouco. depois eu falo pra vocês, meus milhares de leitores, sobre esse capítulo "revisão" do carro. não é pra principiante, mesmo, essa vida...

terça-feira, 27 de julho de 2010

quarta-feira, 21 de julho de 2010

de volta ao país do futebol

cheguei ontem de viagem. após 3 semanas fora, com pouca vontade de checar as notícias brasileiras, acabei chegando meio desatualizada do que rola por aqui. mas entre um email e outro, acabava vendo as páginas dos jornais que falavam sempre do mesmo assunto. o goleiro do flamengo, mais o bolota, o macarrão, o coxinha e o adolescente. uma moça que foi dada de comer aos cães. ouvi pela primeira vez o termo "desossar" envolvendo um ser humano. tantos nomes do universo gastronômico mal empregados nessa barbaridade reviraram meu estômago. pelo pouquinho que entendi da história, só pensava no pobre do nenezinho que nasceu no meio dessa corja. diz que deu, diz que dá. diz que deus dará.

pensei em escrever algo sobre o pobrezinho, mas depois de ler o que o duda postou achei que não é necessário falar mais nada. clique aqui pra ver o genial post do duda.

domingo, 4 de julho de 2010

dragon lore

once upon a time, there was king in krakow`s castle, and king had beatiful daughter. and in cave close to castle of krakow, there was dragon.

dragon was bad. he eats women that had no men. there were many beautiful women in city. but dragon ate them, until there were no women left. and then, dragon wanted to eat king`s daughter. he told king, if king doesn't give daughter, he burns all city with fire in his breath.

king was very very worried. and king told knights, if one knight kills dragon, he gives daughter to be wife, and also gives castle. so, many knights came to kill dragon, but knights are killed by dragon. all are killed.

one day, a guy who makes shoes has idea. he kills animal. he kills sheep, opens sheep and put some things inside. he puts, inside sheep, things that makes fire in matches. and he gives sheep to dragon.

dragon ate sheep and got very very thirsty. so he drank a lot of water. water from wisla river. he drinks so much water he exploded. and then dragon died.
the man got beautiful daughter of king for wife. and also got castle. brave man was king of krakow.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

resumo de procedimento experimental 1

titulo: performance de sapatos femininos no verao da cracovia: uma questao climatica, temporal ou pessoal

corresponding author: silvinha @ ia-vinha.blogspot.com

introducao: antes de viajar as mulheres costumam comprar pelo menos um novo par de sapatos para poder circular com estilo em terras distantes. no caso de viagens com fins profissionais e de lazer, tem se mostrado comum que as mulheres prefiram um modelo que contemple satsifatoriamente as necessidades de conforto e beleza.

objetivo: verificar o desempenho de um par de sapatos novos na polonia.

metodos: psicologa brasileira utilizando um par de sapatos novos para caminhar pela cidade de cracovia para: a) visitar os pontos turisticos e b) participar de um evento cientifico a partir do final da tarde. obs: verao com temperatura media de 30 graus celcius, calcamento irregular feito de pedras medievais na maior parte das vias.

resultados: os sapatos mostraram-se extremamente estilosos e combinaram com os diversos outfits experimentados pela manha no hotel; os sapatos mostraram-se incrivelmente confortaveis nas primeiras 4 horas de caminhada sob o sol. os sapatos passaram a ficar desconfortaveis a partir da 5a hora de caminhada ininterrupta. apos a jornada de 9 horas de uso dos calcados foram observadas bolhas em 3 pontos de atrito entre os pes e os sapatos, sendo 2 no pe esquerdo e uma no direito.

discussao: devido ao grande numero de variaveis envolvidas elaboramos 3 hipoteses principais para esclarecer os resultados. a primeira considera o fator calor como agravante, podendo ter causado edema nas extremidades, aumentando a superficie de atrito e causando o desconforto e posteriormente as bolhas. a segunda considera que o tempo de desempenho foi exagerado e este seria o fator causador do efeito nocivo. a terceira, e mais provavel hipotese, e' que a pessoa e' uma besta e merece cada perrengue que passa nessa vida.

conclusao: os sapatos sao lindos e confortaveis, mas as condicoes climaticas, o tempo de exposicao e a estupidez da usuaria estragaram tudo. as indicacoes para os futuros estudos sao: va' de tenis. fuck fashion.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

czjezscrawickezsc

tch tch tch: e' assim o barulinho que eles fazem. eles sorriem bastante quando voce fala com eles e sao super cordiais e fofinhos e gentis. mas a maioria dos adultos nao fala ingles. eles sorriem e concordam com voce, mas pode ser que nao tenham a mais vaga ideia de o que voce esta dizendo. entao, pedir uma toalha, um adocante ou descobrir onde e' a saida pode ser uma tarefa bem mais complicada do que se imagina. mesmo porque e' bem dificil aprender a pronunciar e decorar as palavras por aqui. mesmo quando voce consegue entender mais ou menos a pronuncia, e' uma palavra tao bizarra que voce logo esquece. mas olha, pelo menos a palavra AGUA foi facil de decorar: e' WODA!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

aguardo ansiosamente: somewhere

filme novo da sofia coppola. estréia prevista pra dezembro de 2010.

minha historia de amor com a diretora:
1. desde adolescência sou apaixonada pelo pai dela por causa do filme outsiders, que tinha todos os bonitinhos soon-to-be big stars, mas nem foi por isso. era porque falava de gente que vivia fora do mainstream, e eu sempre adorei esse tema.
2. nem achei ela tão ruim no godfather. aliás, até me identifiquei um pouco com ela, que não é feia nem bonita, mas tem a cara um pouco inexpressiva ao vivo ou em motion pictures.
3. tentei visitar a vinícola do pai dela, no vale do nappa, mas ele tava de férias com a família, então ninguém podia entrar na tal bodega.
4. acho ela genial desde as virgens suicidas. inusitada, sensível, doce, cruel. gênia mesmo.
5. viveremos felizes para sempre desde lost in translations, filme que fala das sutilezas da intimidade e das necessidades que as pessoas tem de outras pessoas pra se sentirem alguém no mundo.
6. acho o nome dela lindo, queria por na minha filha, se um dia tivesse, mas a minha amiga dani teve primeiro e depois meu ex-namorado teve uma também, então acho que perdi a vez. mesmo assim adoro.
7. sofia, i love you.

domingo, 20 de junho de 2010

strangers - short film

o título do post poderia ser: 'ebony and ivory' ou 'whatever and whatever else'

porque me parece que a única guerra que faz sentido é contra a ignorância.



obrigada ao querido amigo René que me mandou o vídeo.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

nenhum assunto em especial...

... eu só tava aqui pensando qual o melhor jeito de falar com você. acho que aí deve ter banda larga né? será que você consegue acessar meu blog de vez em quando? eu sei que não tem mais aquele iconezinho de atalho que eu coloquei pra você no seu desktop, mas pede pra alguém aí te mostrar como faz. se alguém te mostrar uma vez você já fica craque. então, não era nada de especial, não. só que eu tenho muita saudade. muita mesmo. deve ser por causa da copa. sei lá, essa animação toda, as pessoas fazendo festa pra assistir os jogos juntas, xingando o dunga de tudo que é nome. isso tudo me faz lembrar muito de você. eu aposto que se estivesse por aqui você teria comprado cornetas e bandeiras e um monte de porcarias verde-amarelas. ia deixar a mamãe doida, tadinha. se bobear ia fazer ela te levar na pqp pra comprar no atacado. um monte de vuvuzelas pra distribuir pro povo. certeza! chegadão numa boa farra, isso sim. pensa que não te conheço? você gostava tanto disso aqui, né? ai, querido, que saudade. parece que essa luta ficou meio sem sentido depois que você cansou da sua, sabe?

terça-feira, 15 de junho de 2010

falta!

em ano de copa
no país do futebol
todo mundo entende.
não pode ser tão difícil.

falta!
pára tudo.
volta pra onde estava e começa outra vez.
todo mundo reposicionado.
a história do jogo mudou.

falta.

sábado, 12 de junho de 2010

dia dos namorados

(post alternativo)

para os sortudos que tem pra quem dizer:
We will always have Paris...

valentine's day dia dos valentes

porque valentines é a pqp.





o último dia dos namorados foi há 365 dias.
equivalente a dizer: foi há 180 graus.
ou há 273 altos e baixos de roller coaster emocional.

o que também pode ser expresso através da sensação diária de movimentos de ciclo centrífuga brastemp no estômago.

blargh.
.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

destino

tem gente que acha que o nosso destino está no futuro. que existe uma história com um final certo escrito pra gente. que a gente pode dar a volta que for, mas que vai chegar onde tem que ser.

eu acredito em destino. mas não nesse daí do futuro. às vezes eu até queria acreditar que existe um master plan, que tem alguém tomando conta. seria um grande alívio. mas eu não consigo. não tem como eu conseguir acreditar que alguém ou alguma coisa se incumbiu de escrever um final pra história de cada um dos seres humanos que habitam esse planeta redondo e achatado nos polos.

o destino que eu acredito é o que nos foi dado de graça. é o que está no nosso começo. traçado e imutável: a família que a gente nasceu, a nossa estrutura óssea, a cara, o país, o tempo histórico, o DNA. isso sim tá escrito. disso não dá pra fugir.

daí pra frente não tem nada escrito. aliás, mesmo que a gente escreva uma vez, não quer dizer que fica lá igualzinho pra sempre: alguém vem e apaga, escreve por cima, ou a gente mesmo escolhe ler e re-escrever ou apenas interpretar diferente. isso muda tudo. até o passado.

o resto é tudo, absolutamente tudo, fruto de escolha e acaso. e dentro do acaso a gente tem a variante 'timing', que muda a cara das coisas e faz a gente acreditar em sorte ou azar. mas não se engane: é tudo escolha e acaso. às vezes mais acaso, às vezes mais escolha. só não tem como fugir disso.

fora o fato de estarmos aí, vivos, que nos foi dado de graça, todo o resto é escolha e acaso.
e nada mais é de graça.
.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

quinta-feira, 3 de junho de 2010

terça-feira, 1 de junho de 2010

life: sponsored

eu não tenho filhos. não sei se um dia vou ter. mas penso nisso bastante. teoricamente, claro. então minha visão do assunto, por ser teórica que é, é uma visão racional.

assim: acho que filho precisa ser encarado dentro de um certo pragmatismo e portanto, bem como qualquer outro projeto de vida, por mais sensacional que seja a idéia, depende de viabilidade financeira.

como a molecada gasta muito, o que a maioria dos pais faz é se conformar em deslocar recursos de outras áreas pra investir a fundo perdido nos pequenos. mas sei lá. acho que essa atitude paternalista trata a nova geração como um bando de criancinhas dependentes. que espécie de mensagem é essa, minha gente?

na era da globalização cada um tem que aprender a se virar pra viabilizar a própria existência. é a nova ordem. você vale aquilo que você pode transformar em produtos vendáveis. vale quanto pesa? não. vale quanto pagam. quem não sabe fazer dinheiro não tem lugar nesse mundo.


segunda-feira, 31 de maio de 2010

quarta-feira, 26 de maio de 2010

the talented mr rippley

eu tenho alguns talentos. alguns deles me ajudam na vida, como por exemplo pintar minhas próprias unhas ou passar delineador bem fininho sem borrar.

outros servem (serviam) só pra me divertir na mesa do bar: eu consigo fazer mini-malabarismos com bolachas de chopp em pilhas de até 28 unidades; eu posso quebrar um halls em duas metades perfeitas usando apenas uma leve pressão dos dentes; eu sei fazer uma flor de tipo crisântemo, com pétalas individuais, usando o papel laminado do cigarro.

outros servem pra absolutamente nada de bom. muito pelo contrário. o melhor exemplo desses talentos inadaptativos é a minha incrível habilidade de enxergar tudo de ruim que existe em uma situação. eu consigo ver com extrema clareza o tanto de coisa que pode dar errado e todas as desvantagens de uma decisão. o lado bom não me diz muito. é sempre a análise impecável de tudo de ruim. como eu não trabalho em gestão de riscos, essa porra dessa "habilidade" não serve realmente pra nada de bom. e talvez ainda me faça perder o emprego e as chances de contato com outros seres humanos (que seja voluntário da parte deles).

estava aqui pensando que se o meu dom fosse uma barba robusta e indepilável pelo menos eu poderia fugir com o circo.


.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

quinta-feira, 6 de maio de 2010

amanhã vai ser outro dia...

...e depois vai ser outro.
e depois outro.
e depois outro.
e depois outro.
e outro. e outro.
até que não vai mais.
pelo menos não pra você.

terça-feira, 4 de maio de 2010

you know who

- e aí? europa?
- não sei mais se vou viajar. tô com medo.
- mas medo de quê, menina?
- ah! daquele lá... das profundezas da terra...
aquele cujo nome não pode ser pronunciado.
- peraí! você tá falando de satanás?
- não, besta!
tô falando do Eyjafjallajokull!

domingo, 2 de maio de 2010

amigos

eu sei que às vezes ficava pesado acompanhar a jornada, mas foi muito importante pra mim ter vocês por perto. obrigada a todo mundo que ficou por aqui, agora e nos últimos anos, de corpo ou coração ou pensamento.

esse aqui foi o bilhete que eu recebi do Arthur, meu amigo,
com participação especial da minha amiguinha Clara.
eles são filhos do Nardis e da Rê, meus amigões.

s2





I will get by with a little help from my friends.
.

restlessness

inquietação, agitação, incapacidade de ficar parada num lugar.
aqui tá ruim. levanta e vai pra outro lado.
e depois outro. e depois outro.
logo descobre que nenhum lugar tá bom.
nada tá bom.

bom mesmo seria poder estar em outro tempo.
.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

TIL THE VERY END

não é força de expressão.
seria mesmo mentira dizer que tenho alguma queixa dele.
meu pai cuidou de mim a minha vida inteirinha.
não houve uma só vez que ele me deixou na mão.
pra não dizer que teve um só descuido, me ligou no sábado à noite pra falar que tinha acabado de fazer meu imposto de renda. deixou pra morrer no domingo de manhã.




.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

casquinha

tó: aqui tá seu corpo, ele é seu veículo. use-o pra seu prazer. não o use pra machucar os outros. o desempenho vai ser tão bom quanto a manutenção que você providenciar. na saída você tem que devolvê-lo. tudo o que você fizer durante a sua permanência é problema seu. ah! e fica esperto porque passa muito rápido. enjoy your stay.
.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

ai ai... ai ai... tadinho... ai ai...




























porque mimo e cafuné na cabeça deviam constar da declaração universal dos direitos humanos.
.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

infiltração


infiltrados. scorcese, 2006. matt damon deve queimar leo di caprio que deve queimar matt damon. já não se sabe quem é mocinho, quem é bandido. nessa altura já não faz a menor diferença. a história acaba por falta de personagens mesmo.

infiltrados. como aquela água correndo pelo concreto. quando pinga no teto é porque o resto já está todo mofado. corroendo pelas entranhas. cárie. câncer. agulha no ligamento dos joelhos. chão que afunda.

porque coração se parte de dentro pra fora.
.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

daqui e dali

vai se acostumando. esse é o novo default. não parece a sua vida? olhando daqui não parece não. só que é. this is real fucking life. real e surreal.

geograficamente incorreto

o quê? acidente? meu deus! ahn? quem? jura? estava no vôo?
ele e a mulher? nossa! que coisa...
...
quem tem invejinha da polônia levanta a mãããão!
.

terça-feira, 13 de abril de 2010

sexta feira 13 de abril. um ano qualquer.

Quando era pequena espiava a irmã mais velha no portão. Ela deu um demorado na boca do Dudu! Foi contar pra mãe, um pouco admirada, um pouco ciumenta. Ela não achava justo que isso fosse coisa só de gente grande.

Treinava no espelho, um olho fechado o outro não. Tinha visto na novela que eles balançavam a cabeça pra lá e pra cá. Era meio engraçado porque as vezes parecia que o nariz ia atrapalhar, mas eles sempre davam um jeito. Gostava de passar o batom da mãe. Deixava as marquinhas nos bilhetes que fazia pra avó e escrevia ‘smack’ do lado. Igual nas revistinhas da Mônica. O barulho era assim.

Parecia que seu dia já estava chegando, pelo rumo que as coisas tinham tomado. Ela pensava como será que ia ser, por causa do aparelho nos dentes. Será que eu tiro na hora ou já saio de casa sem? Minha mãe vai desconfiar. Saiu em silêncio pra ninguém ver. Encontrou com o menino na piscina, ouvindo Lulu Santos. Quis evitar seus olhos, mas não pude reagir... Voltou pra casa com cara de culpada, ainda bem que já estava todo mundo dormindo.

Não pregou o olho naquela noite. E nem em muitas outras. Ficava repassando o filminho na cabeça. Desde então vem confirmando sua teoria de que não existe coisa melhor nessa vida.

Feliz Dia do Beijo pra todo mundo!
.

que conste dos autos:

A MINHA MÃE É A PESSOA MAIS LEGAL DO MUNDO.

quem a conhece sabe do que eu tô falando...

.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Star Wars

eu nunca fui fã da saga star wars...

agora vejo que eu não gostava dos filmes porque não os entendia.

mas é que ninguém tinha me explicado assim tão direitinho...



agradecimento especial à renatinha sakai que me mostrou esse video.

climatempo

Valeu, Pedrão!


sábado, 3 de abril de 2010

sobre páscoa, família e o que é sagrado

eu lembro que na minha época de escola existia a 5a feira santa. a gente tinha um dia a mais no feriado da páscoa. eu sempre viajava com a minha família. meus pais faziam jejum na sexta feira, só tomavam água o dia todo. daí minha mãe preparava uma ceia pra eles comerem depois da meia-noite. bacalhau com leite de côco, servido com arroz branco. se a gente estivesse no camping, o arroz nunca era soltinho, porque minha mãe usava uma panela muito grossa que tinha lá no trailler, e o arroz ficava meio papa.

no sábado não acontecia nada de especial e no domingo eles escondiam ovos de páscoa pra mim e pro meu irmão. mesmo depois de grandes, adolescentes, jovens adultos, a gente ainda brincava de fingir surpresa e abraçava os nosso pais, pedindo a eles que agradecessem o coelho por nós.

e sempre a gente almoçava junto. se minha vó estivesse com a gente, o almoço tinha alguma coisa mais religiosa-católica, tipo umas palavras dela sobre a ressurreição de jesus e um pai-nosso. senão era mesmo um almoço de família, que em sua raiz já é religioso. estar com os seus faz a pessoa se sentir parte de alguma coisa maior no mundo. a família ajuda a gente a se ligar no passado e no futuro. dá uma ídeia de continuidade da vida. é a vida eterna da história da gente, mesmo depois que a gente se for. pelo menos é assim a minha sensação de sagrado e religioso.

esse ano está cada um pra um lado. eu tenho coisas de trabalho pra fazer e não achei muita disposição pra viajar e estar com a minha família de origem. hoje faz seis meses que eu me separei do paulão e desde então eu sinto que não tenho mais família pra olhar pro futuro. pode ser de um jeito meio torto, mas agora eu vejo que faz sentido o casamento ser um sacramento. os termos da vida cotidiana não servem pra explicar o que a gente sente quando tem uma família. a certeza de ter um lugar ao qual você pertence é mesmo da alçada da transcendência, como compete aos atos sagrados, dentro de qulaquer que seja a religião.
.

terça-feira, 30 de março de 2010

too much reality

- quem você quer que vá pro paredão?
- eu não assisto bbb.
- ah... e o que você tá achando da novela das 8?
- eu também não assisto novela.
- tá. e você não acha que o oscar foi sacanagem com o cameron?
- hmmm. eu não vi avatar. faz tempo que não vou ao cinema.
- ué... e você faz o que no seu tempo livre?
- sei lá. durmo. ou penso na minha vida.
- credo! que mala! por isso que tá sempre com depressão...
.

domingo, 28 de março de 2010

não tente fazer isso em casa

tem coisas que a gente vê na tv, lê nos livros ou ouve dizer que na vida dos outros deu certo, que todo mundo sobreviveu. mas eu acho que isso daí é pura mentira.

tem coisas que só mesmo os profissionais deveriam fazer. e lá no mundo deles. a gente nunca deveria tentar fazer na própria casa.

matar uma criança, por exemplo, não é o tipo de coisa que a gente deve fazer na casa da gente. tem muita chance de dar merda. é melhor deixar pros assassinos e psicopatas, que tem mais experiência e não vão fazer um monte de bobagens pra acabar apodrecendo na cadeia.

outro bom exemplo é separação. é uma coisa que deveria ser deixada pra profissionais do ramo, como a suzana vieira ou a elizabeth taylor, que conseguem se recuperar como fênixes e tocam a vida em frente. quem se mete a fazer isso sem experiência no assunto acaba sofrendo muito...
.

terça-feira, 23 de março de 2010

wrong is so right

post especial pra quem, como eu, foi jovenzinho nos anos 80.
depeche é o bicho. depeche é o que liga.
ouça a música e ignore os nerds da banda se divertindo no video.
lá em baixo tem a letra da música: exercício de auto-compreensão
pra quem, como eu, acha que tem alguma coisa errada consigo.
enjoy.



WRONG - DEPECHE MODE

Wrong. Wrong. Wrong. Wrong.

I was born with the wrong sign
In the wrong house
With the wrong ascendancy
I took the wrong road
That led to the wrong tendencies
I was in the wrong place at the wrong time
For the wrong reason and the wrong rhyme
On the wrong day of the wrong week
I used the wrong method with the wrong technique

Wrong. Wrong.

There's something wrong with me chemically
Something wrong with me inherently
The wrong mix in the wrong genes
I reached the wrong ends by the wrong means
It was the wrong plan
In the wrong hands
The wrong theory for the wrong man
The wrong eyes on the wrong prize
The wrong questions with the wrong replies

Wrong. Wrong

I was marching to the wrong drum
With the wrong scum
Pissing out the wrong energy
Using all the wrong lines
And the wrong signs
With the wrong intensity
I was on the wrong page of the wrong book
With the wrong rendition of the wrong look
With the wrong moon, every wrong night
With the wrong tune playing till it sounded right yeah

Wrong. Wrong (Too long). Wrong (Too long)

quinta-feira, 18 de março de 2010

POTENCIALISMO

é a nova onda. tendência. must be. é o novo novíssimo.

a gente quer ser tudo ao mesmo tempo agora. a gente quer de tudo um monte. a gente quer reinventar a roda todo dia e ganhar créditos. a gente se leva a sério demais. a gente quer sucesso. a gente não sabe parar quieto. a gente é um saco.

potencialismo
potencialismo
potencialismo

estou escrevendo e re-escrevendo essa palavra aqui no blog pra ver se eu viro recorde de hits no google. eu. eu. eu. potencialista - psicóloga - blogueira - recordista em hits. desenvolvida. sucesso. comunicadora, cidadã do mundo. pluriapaixonada. imortal da wikipedia!

como se essa merda toda fizesse alguma diferença.

.

quarta-feira, 17 de março de 2010

amnésia: esquecimento e lembranças

A amnésia que eu vejo em meus pacientes após um acidente cerebral, na maior parte das vezes, pouco se parece com a síndrome retratada em Hollywood. O cinema em geral mostra casos de pessoas que esqueceram tudo o que já viveram: 'Onde estou?', 'Quem sou?'. Essa é a amnésia retrógrada - apaga tudo dalí pra trás.

Isso aí até existe, mas a amnésia mais comum é aquela igual a da peixinha Dori, do filme 'Procurando Nemo': ela é inteligente, sabe quem é, lembra coisas do passado, mas não consegue guardar coisas da história atual; é um problema de memória recente. Essa se chama amnésia anterógrada.

E é isso que acontece com os meus pacientes: desde que tiveram um acidente eles tem um defeito no registro de novas informações. Então, eles se lembram em geral muito bem de tudo que ocorreu antes do acidente (salvo um apagão de logo antes e logo depois da doença em si), mas não conseguem formar novas memórias de forma eficiente. Assim, a vida desde o acidente vira um amontoado de fatos e informações meio isoladas, desorganizadas cronologicamente. E muita coisa nem sequer amontoa. Apaga mesmo e é como se nunca tivesse acontecido.

Os casos de amnésia anterógrada total existem, mas são raros: é como se a pessoa tivesse parado em um certo dia ou ano de sua vida, e não aprende mais informações desde então. Fica parada em uma época, sem registro de que coisas acontecem e de que o tempo passa. O caso mais famoso dessa patologia foi o paciente HM, de quem eu falei aqui nesse post de 2008, quando ele morreu.

A amnésia anterógrada mais comum, entretanto, não é total. A mais típica é, de novo, muito bem retratada na peixinha Dori que consegue aprender algumas coisas mas não outras. O que ela usa e repete toda hora se fixa de uma forma um pouco melhor, mas o que não usa ou não chama muito a atenção se apaga.

E daí se mostra um fenômeno muito legal, pois apesar de ser frequente também entre as pessoas normais, ele é muito mais acentuado, quase caricato, entre as pessoas amnésicas: é o poder de fixação da memória emocional.

Todo mundo lembra melhor do que interessa, certo? Mas pra essas pessoas não é uma questão de lembrar melhor. Funciona mais como: eu só me lembro do que tem muito valor emocional, ou porque me interessa muito, ou porque me assustou, ou porque eu detestei. Dessa forma, a vida dos amnésicos acaba se orientando por aquilo que é rotineiro e se repete exatamente igual todo dia e fora isso há uma coleção de eventos marcantes. O resto vai e vem no amontoado de eventos desordenados no tempo.

Tudo isso pra contar que acabei de conhecer um homem de 60 anos que sofreu um acidente de carro aos 20. O impacto cerebral foi gravíssimo e ele ficou bem amnésico, assim desse jeitinho mais comum da gente ver: amnésia anterógrada importante mas não total. E isso faz parte da vida dele há 40 anos!

Nesse tempo (dos 20 aos 60 anos) ele teve muita ajuda da familia e amigos e realmente conseguiu uma vida plena: terminou a faculdade, trabalhou, namorou, casou, teve 2 filhos, fez amigos, viajou, enterrou pessoas queridas, viu governos entrarem e saírem, viu filmagens e re-filmagens no cinema e nas novelas da Globo, viu o homem pisar na lua, viu o muro de Berlim cair, viu guerras no mundo, tecnologia, internet, revoluções sociais, mudanças de comportamento, o vai e vem das calças boca de sino e dos carros da Volkswagen.

Na consulta de hoje, como eu costumo fazer com meus pacientes, eu risquei uma linha em uma folha, coloquei o ano de seu nascimento em um extremo e o ano atual no outro, e pedi para que ele apontasse os fatos e eventos que mais o marcaram na vida. Não foi muita surpresa o que aconteceu: até a data do acidente ele marcou mortes, entradas e saídas nas escolas, viagens e o próprio desastre de carro. De lá pra frente, ele marcou sua vida em namoradas, paixões não-correspondidas, uniões e separações. Depois de eu insistir um pouco ele conseguiu fazer umas contas e marcou também o ano de nascimento dos filhos.

Nenhuma só palavra sobre trabalho, perrengues diários, desavenças, pequenos triunfos, grandes feitos, doenças, mortes, nada! Só amores e desamores. Foi isso que sua memória parca selecionou como importante pra ser guardado apesar da deficiência.

Fiquei aqui pensando: da vida a gente não leva nada. E mesmo em vida a gente devia carregar só o que realmente importa...
.

domingo, 14 de março de 2010

ninho

voa, voa, voa
mas sempre quer voltar
de baixo da asa da mamãe
a gente sabe e sempre soube
como é se sentir em casa

o cheirinho dos lençóis macios
a comida nos potinhos
toalhinhas, elefantes, batons
travesseiros no sol

durmo aqui no chão da sala
cuido de quem sempre me cuidou
só hoje. pelo menos hoje
vocês dois podem dormir

sua voz tá fraquinha, um sopro, um assobio
mas vai ficar tudo bem, pai
se você precisar de mim
entra aqui no meu sonho e me chama
me acorda como um passarinho
.

sexta-feira, 12 de março de 2010

... and she ended up being eaten by her pet.


she shared her last days with a grey-eyed iguana. the animal was brought from the trip to cancun, a couple of years ago. that was the last time she tried to get some excitement in life.

she did not get any then. or ever since.

one night she died silently. nobody noticed...


quinta-feira, 11 de março de 2010

i don't beg. i don't borrow. i steal.

adoro esse sonzinho. a-do-ro!

video

ela canta meio anasalado, mas linda desse jeito... who cares, né?

segunda-feira, 8 de março de 2010

just a broken rib

ah! quase esqueci: dia internacional da mulher é a pqp.

frágil?

gente, será que alguém pode me explicar por que a jennifer lopez foi ao oscar enrolada num plástico bolha?

ela tá com osteoporose e ficou com medo de cair e quebrar?

ou ela resolveu estourar as bolotas pra matar o tédio da cerimonia do oscar?

será que na onda eco-friendly ela resolveu reciclar a embalagem da secadora de roupas?

eu não entendo...

sexta-feira, 5 de março de 2010

devolve meu sutiãn

vai idiota: queima!
queima mesmo, otária!

what the hell is your point, you freak?
você vai fazer o que quando aparecer um inseto gigante na sua casa, hein????
.

quinta-feira, 4 de março de 2010

desabrigado

em tantas noites, tanta gente
sua companhia

mazelas do dia, celebrações, nada de novo
aulas de geografia

mendoza. napa. vale central.
rosa e branco e rubi
e riso e choro e cura e veneno

e hoje só eu aqui
ninguém mais. só esse cristal
acolhe o amigo chileno


"Vino color de día
vino color de noche
vino con pies púrpura
o sangre de topacio
vino,
estrelloado hijo
de la tierra”…
Pablo Neruda

terça-feira, 2 de março de 2010

inabalável

em algumas situações é bem difícil manter a dignidade.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Mad

Eu tô doida ou ele tá mesmo a cara da Madonna?

sábado, 27 de fevereiro de 2010

efeito borboleta ou efeito dominó

ou efeito ervilha:
porque desgraça sempre vem aos montes.


terremoto no chile provoca tsunami no havaí.


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A Regular Guy

...aliás, se eu fosse o Guy Ritchie, o título do meu próximo filme cult com câmeras enauseantemente rápidas seria:

"Birinights, Tangas-Frouxa e Mil Balelas Infindáveis".
.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

resolução retardada

eu não estou esperando nada de 2010. daí acabei não fazendo promessa nenhuma, não tomei qualquer resolução de ano novo.

mas na semana passada encontrei um amigo que há tempos não via. fomos num restaurante bacana e tomamos um vinho. bebida esta, que ele insiste em chamar de birinight. assim como qualquer bebida alcoólica, não importa quão refinado o líquido ou quão formal a ocasião. sim, essa foi uma resolução dele, acho que em 2008: trazer de volta ao uso corrente a palavra birinight.

essa resolução, é claro, não serve pra nada, a não ser fazer alguém dar uma risada. nem que seja daquelas meio sem entusiasmo: ai, ai, você tem cada uma mesmo.

espero que ainda esteja em tempo de fazer as juras pra 2010. porque eu também resolvi ressuscitar algumas expressões. não que isso vá servir pra nada, a não ser talvez, ajudar algum interlocutor a não levar a vida tão a sério.

e pra começar vai ser "tanga-frouxa".

hei de incluir a expressão em horas e contextos tão apropriados que ninguém vai conseguir encontrar palavra melhor. hei de fazê-la um adjetivo mais bem resolvido que o "marrento".

me aguardem!
.

aguardo ansiosamente!



"I love a warm pig belly for my aching feet..."

gênio.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Wrong. Hidden.

WRONG - DEPECHE MODE

I was born with the wrong sign
In the wrong house
With the wrong ascendancy
I took the wrong road
That led to the wrong tendencies
I was in the wrong place at the wrong time
For the wrong reason and the wrong rhyme
On the wrong day of the wrong week
I used the wrong method with the wrong technique

Wrong
Wrong

There's something wrong with me chemically
Something wrong with me inherently
The wrong mix in the wrong genes
I reached the wrong ends by the wrong means
It was the wrong plan
In the wrong hands
The wrong theory for the wrong man
The wrong eyes on the wrong prize
The wrong questions with the wrong replies

Wrong
Wrong

I was marching to the wrong drum
With the wrong scum
Pissing out the wrong energy
Using all the wrong lines
And the wrong signs
With the wrong intensity
I was on the wrong page of the wrong book
With the wrong rendition of the wrong look
With the wrong moon, every wrong night
With the wrong tune playing till it sounded right yeah

Wrong
Wrong (Too long)
Wrong (Too long)

I was born with the wrong sign
In the wrong house
With the wrong ascendancy
I took the wrong road
That led to the wrong tendencies
I was in the wrong place at the wrong time
For the wrong reason and the wrong rhyme
On the wrong day of the wrong week
I used the wrong method with the wrong technique

Wrong

sábado, 20 de fevereiro de 2010

pra quem sempre achou que dançar era o programa favorito eu tô é lascada

.
DANÇA DA SOLIDÃO
Paulinho da Viola

Solidão é lava
Que cobre tudo
Amargura em minha boca
Sorri seus dentes de chumbo

Solidão, palavra
Cavada no coração
Resignado e mudo
No compasso da desilusão

Viu!
Desilusão, desilusão
Danço eu, dança você
Na dança da solidão
.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

long forgotten feeling...

quase não pude acreditar quando me vi sentindo isso de novo!
achei que eu nunca mais fosse me sentir assim...


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

baile de máscaras

a-la-la-ô
ô-ô-ô
ô-ô-ooooouuuuuuuuuaaaaaaahhhhhh......
zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz...






.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

pessoal do caso reto

recentemente reparei que eu não sei falar eu fiz, eu fui, eu vivi. entre as minhas histórias, nenhuma que valha a pena ser contada foi vivida na primeira pessoa do singular.


.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

o calcanhar de aquiles da razão

sabe a história do cara super cool que quando tá apaixonado só faz piada sem graça na frente da garota? ou da menina elegante e delicada que quer impressionar o mocinho que ela gosta e acaba tropeçando na escada e levando um tombão na frente dele? essas coisas acontecem porque quando a gente gosta de alguém a gente quer tanto acertar que acaba perdendo a naturalidade. a gente quer tando que de certo que acaba estragando tudo!

acho que isso acontece porque quando a gente tá envolvido de coração a gente acaba desviando toda a nossa capacidade só pra aquilo que a gente sente, pras coisas que a gente quer, ou espera, ou tem medo. estar envolvido emocionalmente em uma situação em geral implica em estar vulnerável, entregue, sem as rédeas. pode ser paixão, decisão profissional, virada na vida, questões familiares, relações de amizade. se você se importa muito com aquilo, é certo que não vai conseguir lidar de forma razoável.

mas você não é psicóloga? pra você não é natural analisar a situação e saber como agir? ha-ha-ha. isso não podia ser mais longe da verdade. quando eu to envoRvida eu faço quase tudo errado. ou atrapalhado. ou estabanado. ou ajo de forma ridícula. ou faço coisas estúpidas. e sempre fico na dúvida. e sempre acho que entendi tudo, mas daí tudo parece diferente no minuto seguinte. the truth is i don't have a clue.

eu não confio mais em mim. eu não confio no meu julgamento, na minha capacidade de tomar decisões acertadas. a dúvida e a incerteza fazem de mim o meu pior inimigo.

meu coração é a minha própria kryptonita.
.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

life

it refers to the period of time one is on planet earth.
it sucks, mostly.
.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

esse consul não é nenhuma brastemp

o sbt foi gravar uma entrevista com o consul do haiti no brasil - george samuel antoine - e deixou a camera ligada mesmo antes de a entrevista começar "oficialmente". sem saber que estava sendo gravado, a criatura se sentiu a vontade pra dizer umas opiniões pessoais muito pouco condizentes com seu cargo de pessoa pública, ainda mais de um diplomata.

depois de suas declarações estúpidas, descabidas, irracionais e levianas o cara levou, com louvor, o "berlusconi award", conferido por este blog para a figura pública mais imbecil da atualidade.

sobre a propaganda que a tragédia fez ao seu consulado:
"Desgraça de lá está sendo uma boa para a gente aqui, fica conhecido".

sobre a 'explicação' para o haiti ter sido 'punido pelos céus':
"Acho que de, tanto mexer com macumba, não sei o que é aquilo... O africano em si tem maldição. Todo lugar que tem africano lá tá fudido."

é absolutamente revoltante. em outra situação chegaria a ser engraçado. e eu ainda lamento que possivelmente essa anta consiga mesmo reverter a tragédia em benefícios da exposição.

como diria minha mãe: é um cretino!

puta som!


.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

every now and then...

... they are back. and they are pretty nasty!


insônia é uma coisa horrorosa. é uma provação. é como se o frank sinatra ficasse incapaz de cantar. é como se o woody allen fosse impedido de filmar. dormir é a minha paixão e o que eu sei fazer de melhor. e nem isso eu tô fazendo direito. to arrasada!
.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

E se?

Quantas chances a gente tem pra escolher como a gente vai ser?
Não estou falando de mudanças.
Estou falando daqueles lados todos que já existem em mim.
Eu escolhi ser alguns. E não outros.
Isso não quer dizer que eu não POSSO ser outras tantas coisas.
É só que ATÉ AGORA eu escolhi ser assim.

Eu me envolvi profundamente com pessoas e coisas que combinam comigo. (Ou pelo menos com essa pessoa que eu escolhi ser). O que será que acontece com esse meu "entorno" se eu resolver ser diferente? Ainda eu mesma, mas diferente? Será que tudo desaba? Será que ainda vai haver lugar pra mim?

O Veríssimo (Luis Fernando) tem uma crônica fantástica sobre algo parecido com isso. Ele conta a história de um homem, pai de família, cidadão respeitado, dentista. Viveu quarenta e tantos anos tranquilo, reservado, discreto. Boa gente, sempre, mas na dele. Um dia apareceu para o café da manhã com um daqueles óculos de plástico que vem grudados num narigão e um bigode de Grouxo Marx.

A família, espantada a princípio, morreu de rir daquela atitude! Mas essa agora! Acharam engraçadinho, meio bobo, mas divertido. Passado um tempo, como o homem não tirava o nariz, o clima foi ficando meio esquisito, e a família deliberadamente pediu para que ele parasse logo com aquilo. Brincadeira tem limite!

Mas não era brincadeira. O homem tinha decidido que dali em diante usaria o nariz. Seria a mesma pessoa, mas com aquele nariz. Pois é. No final das contas o Veríssimo é bem cruel com o pobre homem. Ele acaba abandonado pela família, desacreditado pelos pacientes. Até o cachorro passou a hostilizá-lo. Foi o fim.

Mas gente! É só um nariz do Grouxo Marx! Eu ainda estou aqui! Sou a mesma pessoa!

...

E se, em algum momento, eu resolver ser uma coisa diferente?Será que é justo julgar uma vida inteira por um nariz? (por mais bizarro que ele seja?)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

overrated:

life. love. sobriety. nespresso.
.

terremoto no haiti

sabe aquele cara que fuma, bebe, é obeso, escrotão com a família e só pensa em dinheiro e stress, daí tem um enfarte que acaba salvando a vida dele porque ele começa a se cuidar?

então, tomara que o terremoto seja o enfarte do haiti. os caras estão fudidos há tanto tempo com conflitos políticos, violência, miséria... sei lá. call me naive, call me amelie poulain. mas será que mais essa catástrofe não faz a comunidade internacional se mobilizar de verdade pra melhorar a vida daquele povo?

tomara...



.